Resenha - A Escolhida * livro 1

Olá pessoal! Para fechar o mês com chave de ouro, vou publicar a resenha do livro da nossa parceira Amanda Aghata Costa, e junto trago uma mega noticia sobre esse livro!

Primeiro, vamos a resenha.



Quando começo a ler um livro com o intuito de resenhar, já fico mais atenta a quotes e trechos que possam ser importantes para resenha, só que tive um problema com esse livro, depois de ler o 4º capítulo, eu já tinha mais de 10 quotes... sério gente, fiquei até agora tentando escolher o que colocar na resenha. Antes de falar do livro, vou colocar a primeira quote que encontrei no livro, ainda no Prólogo.


"Pude compreender, então, que existem pessoas que surgem em  sua vida para mudá-la integralmente. Do início  ao fim. Que vão do céu ao inferno para salvá-lo  e, depois de tudo, ainda lhe garantem que os dias são fáceis, o universo é bonito e que você é a razão de tudo isso."


"A Escolhida" é aquele tipo de livro que te prende já no primeiro capitulo, é um livro de fantasia, daqueles com direito a anjos, vampiros, feiticeiros...


"Matar é o meu maior desejo e o único que não deixo de colocar em prática. O odor  de  vida  esvaindo  através  de  meus  dedos  é  a  sensação  mais intensa que vivencio."


Ari, a nossa personagem principal e narradora, é descendente de anjos mas foi deixada na terra, abandonada pelos pais quando era criança, ela é muito teimosa, misteriosa e complexa, é uma garota forte, acostumada a sobreviver sozinha, é extremamente sarcástica e ela não é nada boazinha (e eu amooo personagens femininas assim). Ela é um anjo, mas tem um lado bem demoníaco, seu lado sombrio pode ser até um pouco  assustador, e por isso se torna a escolha perfeita para Egran, um feiticeiro poderoso e com intenções bem macabras, com um pouco de persuasão, ele acaba convencendo a garota a entrar para o Circulo, é como uma seita de mago onde o o líder é o próprio Egran.
Quando Ari é levada para esse circulo, ela nem imagina que sua vida virará de ponta cabeça. Sua solidão acaba, e ela entra de cabeça em uma busca para descobrir verdades sobre o seu passado. No decorrer da trama, podemos notar as mudanças e o desenvolvimento da personagem.

“Estou com medo, e é a primeira vez que sinto isso em dezoito anos. É a primeira vez que sinto inúmeras coisas as quais desconhecia.”

Amanda definitivamente sabe construir personagens, Ari, Luke (suspiros), Vincy, Tay e o próprio Egran, são a prova disso, além dos outros personagens, é claro. Também fiquei encantada com a forma como a química entre Ari e Luke (suspiros, muitos suspiros) se desenvolve, já no primeiro contato dos dois eu percebi essa química.


"É muito a absorver, mas eu só consigo pensar e enxergar Luke. Como se ele fosse um novo lema, uma nova regra. Está realmente acontecendo?  Uma  assassina  pode  estar  se  apaixonando?"



Esse livro tem aventuras, mistérios, romance e uma pitada de comédia tudo na medida certa, ele te faz sentir tudo que é possível, ódio, raiva, amor, amizade, compaixão. Simplesmente adorei a leitura. Temos algumas pontas soltas no fim do livro, mas é isso que nos deixa na expectativa pela sua continuação.


Sinopse: "Em uma cidade repleta de pessoas desconhecidas, Ari poderia ser apenas mais uma garota dispersa na multidão, como tantas outras que foram abandonadas pelos pais desde a infância. Devido à sua aparente doçura e beleza, ninguém seria capaz de supor que, além de um anjo, ela também é um demônio com sede de poder. Os espertos deveriam manter-se distantes, mas há olhares que não deixam de admirá-la. Egran não desperdiçaria a chance de apoderar-se de habilidades tão interessantes: ela é a escolha perfeita. Entretanto, nem todos se sentem realizados. O círculo seria um refúgio ideal para os demais feiticeiros, se o próprio líder não os tratasse como marionetes descartáveis. Movidos pelo medo e controlados pelo mestre, os componentes do grupo obedecem, sem pestanejar, às ordens recebidas. Ao se ver arrastada para lá, Ari se encontra diante de situações improváveis, arriscando-se a expor mais do que gostaria. Para ela, sentir é algo que sempre esteve fora de seus limites. Não poderia vivenciar qualquer forma de emoção, esta era a promessa. Até que Luke surge em seu caminho e abala as estruturas congeladas, derretendo-as e modelando novos conceitos. O amor realmente fará brotar a alegria? Ou irá arrastá-la diretamente para a morte? O passado obscuro de Ari será o suficiente para fazê-la estilhaçar de uma vez por todas, não restando oportunidades para uma nova tentativa de se isolar do mundo."

Curta Trilogia - A Escolha no facebook

E quanto a novidade? O livro da Amanda é tão bom, que a editora Arwen decidiu publicar!! *.* Sério gente, não é o máximo! Em breve "A Escolhida estará nas melhores livrarias!! *.*



Desejo todo o sucesso para essa autora que é muito querida e talentosa.

Um minuto, uma dica #12

Oi pessoal!!
Hoje venho dar mais uma dica de série. Como estou em casa de atestado (sofri uma luxação no joelho), estou com tempo suficiente para assistir séries. A dica de hoje é "Elementary", assisti os 15  primeiros episódios dessa série, e posso dizer que é muito boa.

Para quem ainda não conhece Elemntary, é uma série americana que conta uma versão contemporânea do personagem Sherlock Holmes. Quando eu vi sobre essa série, confesso que tive um pouco de preconceito, pois eu já assistia a "Sherlock" que tem uma premissa bem parecida e é uma das minhas séries queridinhas, mas me surpreendi, apesar de ter o mesmo tema, acredito que as duas séries tem seu espaço. Bem, não estou aqui para comparar as duas (mas Benedict Cumberbatch, continua sendo meu Sherlock favorito), então vou apresentar "Elementary" para vocês.


Sinopse: "Nesta nova roupagem das aventuras de Sherlock Holmes, personagem de Sir Arthur Conan Doyle, o detetive icônico mora em Nova York nos dias atuais, mas mesmo assim continua a resolver os crimes mais hediondos de que se tem notícia.
Após sair da reabilitação, em Londres, o excêntrico Sherlock foge para Manhattan. Entretanto, seu rico e poderoso pai o força a morar com um grande pesadelo: uma guardiã sóbria, a Doutora Joan Watson.
Antes uma cirurgiã de sucesso, Watson perdeu um paciente e sua licença três anos antes. Portanto, ela vê no novo trabalho uma oportunidade de novamente ajudar as pessoas, ao mesmo tempo em que paga pelos próprios atos.
Porém, Holmes a informa que seguirá seu próprio regime pós-reabilitação, retornando ao posto de consultor da polícia de Nova York. Ao acompanhar o genial detetive em seu trabalho, Watson percebe que possui o dom para a investigação criminal. Ao mesmo tempo, Sherlock descobre nos conhecimentos médicos da parceira uma grande ajuda na resolução dos casos.
Agora, Holmes e Watson investigam crimes juntos. É elementar, meu caro."

Estrelado por Jonny Lee Miller no papel de Sherlock Holmes, e Lucy Liu como Dra. Joan Watson, essa série trás muitas novidades para o universo do famoso detetive. Aqui, temos um Sherlock ex-viciado em heroína, cocaína e todo e qualquer outro tipo de droga. E é aí que entra a Dra. Joan Watson, uma guardiã sóbria, que vive no pé do Sherlock, para ter certeza de que ele não irá se meter em encrenca, por esse motivo os dois vivem se engalfinhando. Acho que foi uma ótima ideia de colocar uma mulher como Watson, Lucy dá um toque feminino especial para a série. Já Jonny Lee interpreta um Sherlock sarcástico e piadista.


A Série possui 3 temporada e 72 episódios. Ela é interessante, bem elaborada e tem ótimos atores.

Classificação


E você? Conhece a série? Já assistiu? O que acha dela?

Mais uma oportunidade da Andross Editora!

"Até 31 de agosto de 2015, a Andross Editora estará recebendo poemas para publicação no livro METAMORFOSES"
 
A Andross Editora está recebendo poemas para publicação no livro "Metamorfoses - Coletânea de poemas”, a ser lançado em novembro de 2015 no evento Livros em Pauta.

Qualquer pessoa pode participar. Basta acessar o site www.andross.com.br, ler o regulamento de participação e submeter seu texto à avaliação. As inscrições vão até 31 de agosto de 2015.


Todos os autores que forem aprovados para publicação nessa coletânea automaticamente concorrerão ao STRIX, prêmio criado e concedido pela Andross Editora aos autores cujos textos mais se destacarem em suas coletâneas. O processo de votação encontra-se no site da editora.

Premio Strix


SINOPSE DO LIVRO:
Na natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. A frase de Lavoisier reflete o que acontece também na natureza humana, mas com um tanto a mais de complexidade: sentimentos primários como carvão recebem energia suficiente para se transformar em algo bruto, mas valioso. Cabe a poetas lapidarem-no com inspiração e empenho para trazer a você poemas brilhantes como diamantes.


 


SERVIÇO: 
Livro:Metamorfose - Coletânea de poemas
Organização: Edson Rossatto
Envio do texto: até 31/08/2015
Lançamento: 28 de novembro de 2015 (no evento Livros Em Pauta
Regulamento: no site www.andross.com.br 
Realização: Andross Editora



Abaixo, segue uma entrevista do editor da Andross sobre o processo de publicação. 
Vale a pena assistir.



Tem algum poema que você gostaria de publicar?
Então corre lá no site da Andross!!

Juh Bernardo

Resenha - Um romântico incorrigível

Oi meus lindos leitores!! <3
Hoje estou aqui para falar de "Um romântico incorrigível", um livro que li a alguns meses.



Gavin é um romântico jornalista de 37 anos, que escreve uma coluna de casamentos em um grande jornal, aquele tipo de coluna que as noivas mais poderosas querem sair...
Espera aí? Romântico, escreve sobre casamentos, tem 37 anos? Ele só pode ser casado né? NÃO! Gavin não é e nunca foi casado!

“Eu não era apenas um romântico incorrigível – eu era profissional nisso.”

A vida dele se resume em assistir um casamento por semana, entrevistar todos do casamento e contar a história do casal apaixonado. Gavin é na realidade tímido, não consegue se aproximar das mulheres e sua vida social simplesmente não existe.

O livro começa com ele cobrindo um casamento na virada do ano (isso deve ser muito deprimente, sozinho, em um casamento em plena virada do ano), no dia seguinte sua melhor e inseparável amiga Hope o convida para uma festa de ano novo realizada por médicos que trabalham com ela. É nessa festa bacana (entediante), que Gavin conhece Melinda, uma jornalista de viagens, daquelas que viaja pelo mundo atrás de matérias impressionantes.
Durante a festa eles batem um papo interessante (e eu fiquei o tempo todo torcendo para que Gavin tomasse uma iniciativa), mas a conversa deles é interrompida abruptamente quando um amigo de Melinda a chama para ir embora, e ela vai. Sim! Ela vai embora, simplesmente some, e Gavin não consegue pegar nem o telefone dela, ele só sabe o nome e profissão da mulher. E adivinhem? Existem centenas de Melindas jornalistas no país... Mas Gavin é um romântico incorrigível, e ele sai em uma louca busca por essa mulher linda e perfeita que conquistou seu coração. Só que sua busca não é bem-sucedida... e ele acaba desistindo dela. Mas é claro que o destino não poderia deixar isso barato. Um dia, do nada ele volta a encontrá-la, só que de uma forma bem complicada, ele será contratado para fazer a cobertura do casamento dela. Como Gavin vai superar essa? Entrando em muitas confusões!

Gente, Gavin é um personagem muito engraçado e carismático, ele faz cada coisa que dá pena dele. Ele é o tipo de personagem que, enquanto você lê o livro, você fica dizendo "não, ele não fez isso", "uma pessoa não pode ser tão burra"...

“NÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOO!!!! Como pude ter dito uma coisa dessas? É por isso que sou escritor. Por isso anoto palavras nos papéis. Para poder editá-las. Para não dizer a primeira coisa que me vem à cabeça.”

Mas o coitado não tem culpa de ser assim, seus pais são doidos, sério, completamente pirados. Sua melhor amiga é daquelas que se apaixona pelo primeiro cara que sorri para ela, seu irmão é um mala, a pessoa mais certa dessa trama é a avó dele, mas ela está passando por uma fase complicada com seu 4º marido...

“- Estamos preocupados com a sua ex-mulher – foi a primeira coisa que meu pai me disse ao me ligar às oito da manhã no dia seguinte, provando que nunca é cedo demais para um comportamento fantasioso.
-Não tenho ex-mulher – foi minha resposta.
-Mas, um dia pode ter – disse ele.”

Essa foi uma leitura muito boa e gostosa. "Um romântico incorrigível" é um livro leve e divertido, daqueles que você devora e só trazem coisas boas...


Sinopse: "Ele é um romântico incorrigível e também profissional, pois escreve uma coluna sobre casamentos para um importante jornal, cobrindo festas espetaculares de costa a costa do país. Mas há uma linha tênue entre ser um repórter bem-sucedido com uma matéria para escrever e ser um cara sozinho num sábado à noite, no casamento de um desconhecido. Tudo muda na primeira noite do ano, quando Gavin conhece Melinda, uma jornalista de viagens com um espírito aventureiro. Mas Melinda vai embora e parece ter desaparecido sem deixar rastros.Gavin inicia então uma jornada por Nova York em busca dessa intrigante mulher. E aprende que há algo pior do que perdê-la: ter que escrever um artigo sobre o casamento dela."


Você já leu? Conte como foi sua experiência com ele!
Beijos,
Juh Bernardo

Fui ao cinema - #9

Fui ao cinema assistir "Cidades de Papel”

Como vocês devem saber, sou muito fã do John Green, acho ele um ótimo escritor, e até agora, todos os livros que li dele, me encantaram. Então é claro que tudo que é relacionado a ele, me atrai. “Cidades de Papel” não esta entre meus livros favoritos, foi o livro do John que menos gostei, mas mesmo assim, acho ele uma obra adorável...

O que achei do filme?
Bom! Não é uma obra prima daquelas que se diz “você é obrigada a assistir!” ou “Meu Deus, que filme épico”, mas é aquele tipo de filme que proporciona risadas garantidas e traz uma ótima lição de vida (como todas as obras escritas por John Green). Cidades de Papel é aquele tipo de filme, que, ao assistir você diz “Oiinn... *.*”.
Ele é fofo, nada deprimente e, para quem não leu o livro, pode realmente surpreender.

Dá para comparar com o livro?
Sim, claro! Pode não ser tão bom quanto o livro (bem, meu marido disse que o filme ficou melhor que o livro, mas estou aqui para dar a minha opinião, e não a dele!), mas o filme ficou bom, e sim, muito parecido. Acho maravilhosa essa coisa do John estar sempre de olho nos sets de filmagem, com isso ele consegue colocar nos filmes, a mesma essência que ele usa nos livros. Assim, como em ACEDE, “Cidades de Papel” também usa muitas citações e diálogos do livro, como por exemplo a ilustre frase do Ben: “Estou literalmente cheio de xixi. Cara, neste instante, setenta por cento do meu corpo é feito de xixi”

E os atores?

Adorei Nat Wolff no papel de Quentin, ele já havia me surpreendido em ACEDE, como Isaac. Eu simplesmente amei, Justice Smith como "Radar" e Austin Abrams como Ben, eles fizeram muita diferença no filme e mostraram potencial, sem falar que toda a comédia fica por conta dessa dupla.


Agora, Cara Delevingne não me convenceu no papel de Margo Roth Spielgeman, eu sei lá, não achei ela uma atriz muito boa, é claro, aqui no cinema da minha cidade só tinha o filme dublado, e a dublagem ficou terrível e não favoreceu nem um pouco a atriz, então vou esperar para assistir legendado e ver se mudo a minha opinião, mas acredito que não melhore muito. Não sei, acho que deveriam escolher uma atriz mais viva, Cara parece muito sem sal.
  

O que achei do final do filme?
Bom, mas assim como no livro, não é um dos meus finais favoritos.

Classificação Geral:



Trailer:

Um minuto de curiosidade #1

Oi gente! Hoje estou trazendo uma novidade no blog. Uma vez ao mês vou estar trazendo alguma curiosidade ou noticia interessante para vocês com a coluna "Um minuto de curiosidade".
E o primeiro tema escolhido foi William Shakespeare, você conhece ele? (hahaha)
Gente, isso é sério, durante uma fase da minha adolescência eu simplesmente era fascina pelo autor, li várias obras dele, assisti a muitos filmes baseados em suas obras, e, li muito sobre a vida dele.
Vou apresentar para vocês alguns fatos curiosos sobre ele, que talvez vocês saibam, ou não, mas acho esses fatos bem interessantes.

*Shakespeare viveu cinquenta e dois anos. Sabe-se que ele nasceu em abril de 1564 e que morreu em 23 de abril de 1616. Foi batizado em 26 de abril 1564 e estudiosos acreditam, que tenha nascido também em um dia 23 de abril. Portanto, morreu com cinquenta e dois anos exatos, coincidindo com o Dia de São Jorge

*Ele casou-se com Anne Hathaway (não a atriz... hahah) em 1582, quando tinha 18 anos. Ela tinha 26 anos e estava grávida. Sua primeira filha Susanna, nasceu seis meses após o casamento. Eles ainda tiveram mais dois filhos, o casal de gêmeos Hamnet e Judith, que nasceram em 1585.

*Susanna, sua filha mais velha, se casou aos 24 anos, com John Hall, um médico de Stratford e tiveram uma filha, Elizabeth, que morreu sem filhos. Já Hammet morreu aos 13 anos de idade. E Judith, casou-se com Thomas Quiney, um taberneiro, e teve três filhos que morreram antes de se casarem. Portanto, especula-se que Shakespeare não tem descendentes.

*Como a maioria das mulheres do século 16 na Inglaterra, suas filhas Susanna e Judith nunca receberam qualquer educação e não aprenderam a ler nem escrever.

*Em suas peças, Shakespeare, escreveu treze cenas de suicídio. Entre as mais famosas estão: “Romeu e Julieta”, em que ambos se suicidam, e em “Júlio César”, em que Cassius e Brutus morrem por esfaqueamento consensual, bem como a esposa de Brutus, Portia.

*Shakespeare viveu uma vida dupla. Se tornou um dramaturgo famoso em Londres, mas em sua cidade natal, Stratford, onde viviam sua esposa e seus filhos, que visitava com frequência, era um empresário conhecido e altamente respeitado e proprietário de imóveis.

*Durante sua vida, Shakespeare escreveu 37 peças e 154 sonetos. Alguns pesquisadores têm defendido que Shakespeare não escreveu todas as peças atribuídas a ele. Pelo menos cinquenta são apontadas como de outros escritores. No entanto, há correntes que defendem que a evidência de Shakespeare ter escrito todas as suas peças é muito forte.

*Apesar de ter sido ilegal ser católico na época de Shakespeare, o arqui-diácono anglicano Richard Davies de Lichfield escreveu algum tempo depois da morte de Shakespeare que ele havia sido católico.

Restaram poucos registros sobre vida privada de Shakespeare, e por isso, existem muitas especulações sobre a sua aparência física, sexualidade, crenças religiosas, se algumas das obras que lhe são atribuídas, foram de fato escrita por eles, e até especulações quanto à sua identidade. De acordo com alguns historiadores literários, "nos séculos XVI e XVII, que foram a 'Idade de Ouro' dos pseudônimos, quase todos os escritores usaram um pseudônimo em algum momento de sua carreira", por isso alguns acreditam que Shakespeare possa ser apenas um pseudônimo, e outros vão mais além, alegando s possibilidade de Shakespeare "ter sido um ator assumindo habilidades que não possuía", ou seja, que ele apenas assinava obras escritas por outras pessoas.


Fontes:
Sua Pesquisa - pesquisado por: "Shakespeare" - acessado em 04/07/2015
Veja - Infograficos especiais - pesquisado por: "William Shakespeare" - acessado em 05/07/2015
Wikipedia- pequisado por: "William Shakespeare" - acessado em 05/07/2015
Wikipedia - pesquisado por: "identidade de Shakespeare - acessado em 06/07/2015

E aí? Gostaram?

Beijos,
Juh Bernardo
 

© Template elaborado por Cantinho do Blog. Clique aqui e Encomende o seu! - 2015. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré