Resenha - Beleza Perdida

Olá pessoal, como estão? Amei os comentários de boas vindas! Muito Obrigada ♥
Para começar com o pé direito nada como resenhar esse livro baseado na história mais linda de todos os tempos cofcof  A bela e a Fera \o/
                                           

Confesso que eu não tive nenhuma expectativa ao pegar esse livro. Na verdade, pensei que seria mais um livro, cuja a história não é a mais original de todas e pela capa, pensei que dariam um toque "hot" na história, pois agora está em tuuudo. Li muitas resenhas sobre Beleza Perdida e de repente estava na boca do povo, desse modo eu deixei para ler em outro momento. Vocês vão ver que eu sou muiiiito chata com isso a não ser que sejam livros da Carina Rissi ou Romances Históricos kkk eu não sou de seguir o "fluxo", de ler algo só porque todos estão falando. Acho que isso cria muita expectativa e, além de a leitura não fluir, ela acaba ficando maçante.
Então, numa bela tarde de puro tédio, eu olhei para esse livro e pensei "por que não?"
Eis que acabei a leitura umas 5 horas depois!

O livro conta a história de Ambrose Young: ele é o cara tudo-de-bom  e todos esses clichês que um personagem super-popular-gostosão-atleta da escola tem.
Ressentido em perder os amigos, no dia em que se formam, Ambrose pergunta quem gostaria de se alistar com ele no exército. Desse modo, os quatro amigos acabam indo na "onda" dele e vão parar no Iraque.
Infelizmente, algo acontece e o único sobrevivente se resulta em Ambrose Young.
Ele então volta para sua cidade, sem seus amigos, sem sua beleza, sem nada.
Todavia, Fern consegue enxergar a alma da Fera e tenta de tudo para que ele se perdoe.

Fern Taylor é uma leitora e escritora assídua de romances e todos os clichês que um personagem com complexo de feiura tem. Ela vê  Ambrose como uma pessoa totalmente fora de alcance para alguém como ela. A mocinha que nutre algo forte pelo rapaz, acaba sendo motivo de chacota na escola e decide guardar seus sentimentos por ele a sete chaves.
Fern passa seus dias rotineiros ao lado de seu primo Bailey que é portador de uma doença degenerativa e se movimenta com uma cedeira de rodas.

— Você se lembra do seu último passo? — perguntou Fern baixinho, não experiente o bastante, aos onze anos, para evitar perguntas diretas que pudessem ser dolorosas de responder.
 — Não, não lembro. Eu escreveria no meu diário se lembrasse, mas não sei. 
— Aposto que a sua mãe queria poder colocar isso no seu livro do bebê. Ela escreveu o seu primeiro passo, não escreveu? Ela deve ter vontade de escrever o último também. 
— Talvez ela tenha pensado que eu daria mais passos. — Bailey engoliu em seco, e Fern percebeu que ele estava tentando não chorar. — Eu pensei que daria mais passos, mas acho que gastei todos eles. 
— Eu te daria um pouco dos meus se pudesse — Fern ofereceu, seu queixo também começando a tremer.
 — Talvez eu não possa mais dar passos, mas posso rodar com a cadeira. — Bailey limpou o nariz e deu de ombros, abandonando a autopiedade, então seu otimismo subiu à superfície da maneira que sempre subia. 
 — Você não pode andar, mas pode deitar e rolar. 
 — Definitivamente, posso deitar e rolar. — Bailey riu

Fern e Bailey querem que Ambrose perceba que sua vida não acabou no Iraque, que sua vida não acabou quando a beleza se perdeu.

Será que eles vão conseguir?

Esse livro é narrado de forma leve e densa, ele mostra como a vida realmente é.
Que não é um conto de fadas lindo da Disney =(
Eu simplesmente amo livros onde os personagens se constroem: como aprendem com seus erros, como reconhecem e dão a volta por cima.
Mas, sinceramente? Esse é o primeiro livro que leio e que me apaixono por um personagem secundário: o Bailey.
Na minha leitura, á todo momento, era o Bailey quem roubava a cena! Um personagem com todas as dificuldades possíveis, com sonhos grandiosos e que mesmo em meio as tempestades, era forte.

Bailey é maravilhoso com seu jeito irônico e fofo e as sacudidas que ele dá nos personagens principais não merecem palmas, mas o Tocantins inteiro \o/ kkk parei

Super recomendo esse livro, mesmo com todos os clichês a narrativa é apaixonante e se você, caro leitor, não ter nenhuma expectativa, você será surpreendido, como eu fui, pois as reflexões que a autora faz são lições valiosas e dão um brilho á trama.
Se você já leu esse livro e se apaixonou pelo Bailey bate aqui o/
Se você ainda não leu, mas se identifica com esse tipo de narrativa, corra para ler, pois a história é linda \o/

"Se Deus faz todos os rostos, Ele riu quando me fez?  
Ele faz  pernas que não podem andar e olhos que não podem ver? 
Ondula os cabelos na minha cabeça numa rebelde insensatez? 
Fecha os ouvidos do surdo para que ele precise depender?

 Minha aparência é coincidência ou ironia do destino? 
Se Ele me fez assim, posso culpá-lo pelo que odeio? 
Pelos defeitos que parecem piorar a cada vez que olho no espelho, 
Pela feiura que vejo em mim, pelo ódio e pelo medo. 
Ele nos esculpe para o Seu prazer, por uma razão que não posso ver? 

Se Deus faz todos os rostos, Ele riu quando me fez? " 

.
Beijos da Bruh  ♥

Resenha - Enquanto eu te esquecia


Livro: Enquanto eu te esquecia.

Autora: Jennie Shortridge
Editora: Única
Páginas: 384
Ano: 2014
Tradutor: Elisa Nazarian
ISBN: 9788567028125



O livro é bem legal, só que achei seu desenvolvimento muito simples. O tema tinha tudo para ser grandioso, e acho que a autora poderia ter aproveitado mais. A leitura corre muito bem, terminei o livro rapidamente, mas fiquei com aquela sensação de que faltou algo. E faltou mesmo, achei o final um pouco decepcionante, sei lá, acho que fiquei na expectativa de mais romance e mais drama.

“Ela era transparente, um fantasma. Sem identidade. Sem passado. Sem vida.”

A narrativa é em terceira pessoa, e conta sobre Lucie, começando com o dia que ela foi encontrada na Baía de São Francisco sem fazer a mínima ideia de quem era ou como fora parar dentro d’água. Sem ter informação nenhuma sobre ela, encontram como solução enviá-la a uma clínica psiquiátrica, onde ela é diagnosticada com um tipo raro de amnésia que a impede de se lembrar de seu passado. Lucie consegue se lembrar de coisas rotineiras, como mexer em um computador, mas não consegue lembrar nem de seu nome. Com a ajuda da imprensa, o hospital divulga fotos de Lucie para ver se alguém a reconhece, e um homem chamado Grady vê a foto depois de uns dias e a identifica. Grady é noivo de Lucie, e após comprovar os fatos, consegue leva-la de volta para casa, em Seattle.

"Lucie não parecia tão desorientada quanto Grady se sentia falando sobre ela como se fosse outra pessoa. Era natural que quisesse saber tudo que tinha acontecido no dia de seu desaparecimento.”

Voltando para casa, Lucie começa a descobrir sua vida, e descobre coisas nada agradáveis, ela não tem amigos, os vizinhos não gostam dela, não sabe cozinhar, sua vida é dedicada apenas ao trabalho e a gastar dinheiro com coisas inúteis e sua estética. Mas ela quer mais, e vai atrás do seu passado, descobrindo os motivos de suas atitudes e até de sua fulga.

Cada capitulo narra sobre a perspectiva de um personagem diferente, temos Lucie, Grandy e Helen, tia de Lucie, falando sobre suas vidas e, claro, sobre Lucie.

“Os lábios de Lucie tinham o mesmo sabor da primeira vez que ele a beijara, como o pôr do sol em um dia quente, ou uma chuva repentina. Como maçãs colhidas na árvore.”

Grandy é personagem doce e inseguro. No início ele me irritou muito, pois dava para notar que ele tinha medo da “nova” Lucie e precisava que a antiga voltasse, isso faz com que ele tome atitudes que acabam magoando ela. Mas também tive pena dele, não deveria estar sendo fácil ter a mulher que ama e futura esposa ao seu lado, quando ela mais parece uma estranha, seus esforços para agradá-la são louváveis, principalmente depois de conhecer mais sobre o personagem.

“Ela abriu a boca para responder, mas não sabia o que dizer. Ele chegou mais perto devagarinho, com cuidado, como se fosse alguém se aproximando de um cachorro ferido ou de uma pessoa louca.”

O desfecho é bom e a leitura é gostosa, é muito interessante descobrir o passado da personagem juntamente com ela e com seu noivo, já que ela nunca havia se aberto com ele. Como falei, acho que o livro ficou com alguns fios soltos, mas a leitura vale apena.



Beijos,
Juh

Nova Colunista na área \o/

                                                                                         Olá pessoal, tudo bem?

É com muita alegria que venho me apresentar ")
Me chamo Bruna Vieira, tenho 22 anos e sou a nova colunista desse blog lindo ♥
Sou uma romântica incorrigível, formada em Letras Português-Inglês e meu sonho é trabalhar um dia como tradutora de livros e claro, publicar meus próprios livros ♥
Desde que aprendi a ler vi-me arrebatada! É tanto amor que não conseguiria expressar esse sentimento do quanto a literatura significa, o quanto amo ler.
A literatura nos transcende : nos leva á mundos fantásticos, á novas culturas, possibilitam que conheçamos novas "pessoas", nos dão o poder de voltar no tempo ou de ir para o futuro, além do nosso; e isso tudo: sem sair do lugar!
Por isso meu cantinho aqui será para trazer as novidades literárias, resenhas, autores, enfim tudo o que for relativo desse mundo mágico!
Eu leio de tudo um pouco, mas tenho certa paixão por romances históricos. Além de ler, amo assistir séries e filmes de variados gêneros. Tenho um fraco por animes, doramas, brigadeiro e SKOOB (HAHA)

Espero que curtam esse novo cantinho ♥
Se desejarem podem deixar sugestões sobre o que gostariam de ver por aqui, o que esperam dessa nova coluna (que ainda estou pensando num nome), quais gêneros literários vocês gostam, enfim fiquem á vontade \o/
Estou super feliz e empolgada por colaborar com esse blog!

Até o próximo post ♥

Um minuto, uma dica #14 - Nostalgia

Gente, esse post era para ter sido feito mês passado, quando fiquei uma semana em casa, sem poder fazer nada e literalmente com a perna para cima, tive tempo de assistir muitos filmes, inclusive de matar a saudade de alguns...
Com um pouco de atraso, trago para vocês 5 filmes comédias românticas do final dos anos 90 que você não pode deixar de assistir:

10 coisas que odeio em você (1999)
Acho que esse é meu favorito da época, eu deveria ter uns 12 anos quando assisti ele pela primeira vez e foi um dos responsáveis por me fazer gostar de Shakespeare, pois o filme é uma adaptação moderna de "A Megera Domada"
E foi o esse filme que apresentou Julia Stiles, Heath Ledger e Joseph Gordon-Levitt ao mundo do cinema.
"Bianca (Larisa Oleynik) não vê a hora de arranjar um namorado, mas seu pai (Larry Miller) não permite que ela saia com garotos. Após muita insistência, o pai toma uma resolução: Bianca pode namorar, desde que sua irmã, Katharina (Julia Stiles), namore também. Só que Katharina é uma verdadeira megera, que não tem amigos na escola nem em lugar algum. Para resolver a questão, Cameron (Joseph Gordon-Levitt), apaixonado por Bianca, resolve contratar o misterioso Patrick Verona (Heath Ledger) para seduzir a futura cunhada. A cena de Patrick cantando Can’t Take My Eyes Off You na quadra de esportes é inesquecível."

O Casamento do Meu Melhor Amigo (1997)
  Falar de filmes romanticos dos anos 90 e não falar de Julia Roberts é quase pecado!
"Julianne (Julia Roberts) e Michael (Dermot Mulroney) combinaram que, se ambos continuassem solteiros quando completassem 28 anos, se casariam. Quando recebe um telefonema do amigo, às vésperas da fatídica data, anunciando que está prestes a se casar, mas com outra (Cameron Diaz), Julianne se descobre apaixonada por ele e aceita o convite para ser madrinha, mas com segundas intenções. Indicado ao Oscar de melhor trilha sonora e ao Globo de Ouro de melhor filme comédia/musical, melhor atriz de comédia (Julia Roberts) e melhor ator coadjuvante (Rupert Everett)."

Um Lugar Chamado Notting Hill (1999)
Viu? Não disse que é impossivel não falar da tia Julia, aqui tá mais uma prova, e nesse ainda temos outro expert em filmes românticos, Hugh Grant.
"Will (Hugh Grant), pacato dono de livraria especializada em guias de viagem, recebe a inesperada visita de uma cliente muito especial: a estrela de cinema americana Anna Scott (Julia Roberts). Dois ou três encontros fortuitos mais tarde, Will e Anna iniciam um relacionamento tenro, engraçado e cheio de idas e vindas."
O filme foi indicado a três Globos de Ouro: melhor filme comédia/musical, melhor atriz de comédia (Julia Roberts) e melhor ator de comédias (Hugh Grant).

Ela é demais (1999)
Mais um ator que ganhou destaque por suas comédias românticas foi Freddie Prinze Jr.
"Em uma escola secundária de Los Angeles, Zach Siler (Freddie Prinze Jr.) é o jovem mais popular. Ele namora Taylor Vaughan (Jodi Lyn O’Keefe), uma rica esnobe que é bastante badalada. Quando Taylor dispensa Zach para ficar com Brock Hudson (Matthew Lilard), um ator de televisão de terceira categoria, Zack aposta com um amigo que qualquer garota que ele namore se tornará a rainha do baile. A escolhida é Laney Boggs (Rachael Leigh Cook), que é estranha e inacessível, e Zack só tem seis semanas para conquistá-la e modificá-la. Esta tarefa se mostra bastante difícil mas gradativamente Zach se envolve com Laney, que agora se mostra muito mais bela."

Enquanto Você Dormia (1995)
Sandra Bullock é o tipo de atriz que interpreta personagens que te deixam aflito durante o filme todo, pois parece que a cada instante suas benditas personagens vão fazer algo muito, muito idiota, e seus filmes devem ser assistidos, principalmente os mais antigos.
"Uma solitária funcionária (Sandra Bullock) do metrô de Chicago tem fantasias sobre um passageiro habitual (Peter Gallagher) que nunca falou com ela. Um dia ele é assaltado e jogado nos trilhos do metrô. Ela o salva, mas ele fica em coma e quando ela vai visitá-lo no hospital acaba sendo confundida como a noiva da vítima. Se a situação se complica por um lado por outro ela passa a ter novamente uma família para cuidar dela, algo que não sentia há muito tempo, e ao mesmo tempo começa a se apaixonar pelo irmão da vítima (Bill Pullman). Indicado ao Globo de Ouro de melhor atriz em comédias (Sandra Bullock)."


E você? Sentiu saudade de algum filme? Comente!!

Juh Bernardo

Um minuto de curiosidade #3

Oi pessoal!!
Nesse novo post de curiosidades, vou falar sobre um grande escritor, Clive Staples Lewis, mais conhecido como C.S. Lewis.

C. S. Lewis nasceu em Belfast, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda, atual Irlanda do Norte, 29 de novembro de 1898 e faleceu em Oxford, Inglaterra, Reino Unido, 22 de novembro de 1963. Ele foi professor universitário, escritor, romancista, poeta, crítico literário, ensaísta, apologista cristão britânico (ufa cansei, mas acho que disse tudo...).

*Lewis foi criado ao longo da infância dentro das tradições da Igreja da Irlanda, se tornou um ateu convicto na altura de sua adolescência, seguindo essa linha de convicção pessoal até o início de sua idade adulta, quando, por intermédio de Tolkien, voltou a professar a fé cristã, se tornando um árduo defensor do cristianismo até o fim de sua vida e carreira.

*Um pouco depois que Lewis voltou à fé cristã, dedicou-se a defendê-la, tornando-se popular durante a II Guerra Mundial, por suas palestras transmitidas pela rádio e por seus escritos, sendo chamado de "apóstolo dos céticos", especialmente nos Estados Unidos.

*Na sua adolescência, por influencia da obra do compositor Richard Wagner, começou a se interessar pelas mitologias nórdica e grega, e por línguas, como o latim e o hebraico.

*Aos 18 anos, foi admitido no University College, em Oxford, Inglaterra. O serviço militar exigido pela Primeira Guerra Mundial, interrompeu seus estudos. Em 1918, aos 20 anos, retornou à Oxford.

*Durante a Primeira Guerra Mundial ele conheceu outro soldado irlandês, Paddy Moore, os dois fizeram uma promessa: se um deles falecesse durante o conflito, o outro tomaria conta da família respectiva. Moore faleceu em 1918 e Lewis cumpriu seu compromisso. Após o final da guerra, procurou a mãe de seu amigo, a senhora Janie Moore, com quem estabeleceu uma profunda amizade até a morte desta em 1951.

*Sua primeira obra a receber destaque na imprensa com premiações, foi Cartas de um Diabo a seu Aprendiz. Ele também está presente na lista de livros recomendados pelos Ministérios Educacionais para as escolas fundamentais e médias, principalmente de países de língua inglesa.

*O famoso primeiro ministro da Inglaterra, Winston Churchill, ofereceu a Lewis o título de cavaleiro, mas ele recusou.

*CS Lewis faleceu no mesmo dia de Aldous Huxley, e do presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy. Essa fatídica coincidência serviu como pano de fundo para o livro O Diálogo – Um debate além da morte entre John F. Kennedy, C. S. Lewis e Aldous Huxley, de Peter Kreeft, onde os três personagens, representando o teísmo ocidental (Lewis), o humanismo ocidental (Kennedy) e o panteísmo oriental (Huxley), discutem sobre religião e cristianismo.

Wikipedia

E você? Já conhecia um pouco sobre a vida do autor? Já leu os livros dele? Compartilhe com o blog!!

Precisa-se de colunista!

Oi meus amores!

Nossa, os dias estão muito corridos, quero pedir mil desculpa por ter sumido assim do blog, mas espero que vocês me entendam, a correria do dia a dia está bem complicada...
E como não quero deixar o blog com esse ar de abandonado, ficando mais de uma semana sem publicar, estou precisando de ajuda.


Quero um colunista para me ajudar a manter o blog.
A pessoa interessada pode escolher um desses três temas:
Filmes (noticias e resenhas)
Livros (noticias e resenhas)
Séries (noticias e resenhas)

Quanto a periodicidade de publicações, estou aberta a negociar.
Maiores informações é só entrar em contato por e-mail:  julianabernardo.rh@gmail.com
Se tiver interesse, ou conhecer alguém que tenha vontade de ajudar uma blogueira solitária e necessitada (nesse momento estou fazendo carinha de cachorro que caiu da mudança), favor preencher o formulário que está no link abaixo:

Agradeço a atenção de todos e aguardo retornos,
Beijos,
Juh

 

© Template elaborado por Cantinho do Blog. Clique aqui e Encomende o seu! - 2015. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré