Resenha - E viveram felizes para sempre

Olá pessoal, como estão? Apareci 🙈


E viveram felizes para sempre é o "último" livro da série Os Bridgertons, este traz um segundo epílogo de cada um dos oito irmãos, além de um conto da matriarca da família, Violet Bridgerton.

Julia Quinn fez este livro a pedido dos fãs, pois muitos queriam saber o que vinha depois do fim. Queria escrever mais sobre esta leitura, porém é impossível fazê-lo sem soltar spoilers dos livros anteriores. Mas o que posso dizer é que eu esperava mais. 

Esperava algo mais completo e não contos pequenos e rápidos demais. Esperava mais da história de Violet com seu marido Edmund. Eu simplesmente... queria mais.

A expectativa é uma faca de dois gumes, mas não consegui pegar este livro sem pensar em diversas possibilidades, na realidade, eu pensei que era um livro da Violet em si.

A escrita da Julia é formidável, leve e ritmada; revisitar cada personagem fora uma experiência interessante, mas me deixou com mais saudade da série. Os contos "O Florescer de Violet", que era o mais aguardado por quem vos escreve, além do segundo epílogo de "A Caminho do Altar", foram os que mais gostei e me emocionei. Não que os outros sete epílogos não sejam excelentes, mas como disse anteriormente, esperava mais.

E viveram felizes para sempre é leitura obrigatória para quem já leu os oito livros anteriores. Recomendo muito a leitura.

A série:



E viveram felizes para sempre





Beijos da Bruh 

Um minuto para relaxar

Então, hoje é dia 1º de dezembro, dá para acreditar que só faltam mais trinta dias para o final do ano? 😱😱


Acredito que todos estão numa correria danada, mas temos que dar uma pausa as vezes, então hoje, decidi distrair um pouco a mente ocupada de vocês com photobombs um tanto inusitadas.
Mas antes, um segundinho para informação.

O termo photobomb pode até ser recente, mas a prática é uma velha conhecida, principalmente dos engraçadinhos. Essa e a arte de "arruinar" uma fotografia, intencionalmente ou não, que tinha tudo para dar certo. Essa "arte" abrange desde os inofensivos chifrinhos nos amigos até as mais surpreendentes exibições performáticas, impossíveis de não serem notadas. Um clique na hora certa (ou não) pode pegar imagens realmente inusitadas...
Algumas dessas fotos ocorrem de forma intencional, como as que vou mostrar agora, realizada por fofos (ou nem tanto) membros do mundo animal. (Tenho certeza que vão se lembrar de amigos e familiares nessas fotos, eu pensei em muitos... hahah).

















Que dezembro comece cheio de luz, seja recheado de coisas boas e termine trazendo muita esperança (e livros) 💕💕💕

😘 Beijos,
Juh

Um minuto de curiosidade #6

Você já ouviu falar em crowdfunding (financiamento coletivo)?
Com apenas R$10,00 você pode fazer parte da realização do sonho de uma pessoa, e como agradecimento, você pode receber livros, brindes e outros mimos. Isso não é incrível?
E você também pode colocar o seu sonho lá e ver pessoas ajudando a financiá-lo!!

O que pode ser financiado?

Lançamento de livros, produções de filmes, viagens, a criação de um robô, um produto novo para venda no mercado, a abertura de uma empresa... Só não vale coisas ilegais né!?


Existem vários sites de financiamento coletivo, eu uso o Catarse. E o legal, é que as vezes as pessoas só precisam saber do seu sonho  para ajudar (eu não recebo doações só no Catarse. Já recebei bastante doação, em dinheiro mesmo, da tia, do primo, do colega e várias outras pessoas que eu nem imaginava... Esse dinheiro estou colocando numa poupança).

Afinal, o que é crowdfunding?   

"Com mais de 20 anos de estrada, 6 discos gravados e milhares de fãs espalhados pelo Brasil, os capixabas do Dead Fish tinham a intenção de lançar um novo álbum em 2014, mas também tinham um problema: não havia dinheiro para isso. Afinal, sem ter laços com grandes gravadoras, não é qualquer banda que consegue 60 mil reais da noite pro dia para gravar um disco. E foi daí que surgiu a ideia: tentar bancar o disco através do crowdfunding, ou, como costumamos chamar, financiamento coletivo. Uma ideia que não apenas funcionou como também fez história no Brasil. Mas talvez você esteja se perguntando “tá, mas o que é crowdfunding”?

Bem, se esse for o seu caso, não se preocupe, porque iremos explicar tudinho por aqui a seguir. Confira!

Imagine que você tem uma baita ideia para um projeto mas não tem dinheiro suficiente para produzi-lo — como foi o caso do pessoal do Dead Fish. Durante muitos anos, as maneiras de tentar colocá-la em prática seriam:

   * Por meio de uma lei de incentivo fiscal ou edital
   * Uma grande empresa que topasse financiar
   * Empréstimo bancário
   * Juntar grana do próprio bolso até conseguir a verba total

Essas opções não são acessíveis para todo mundo ou poderiam ser muito burocráticas e demoradas. Tudo isso, no entanto mudou com o Catarse e chegada do modelo de financiamento via crowdfunding.

Popularizado graças à internet, esse sistema de financiamento usa a web para conectar a pessoa que tem uma boa ideia com as pessoas interessadas em pagar para tirá-la do papel. E uma das formas de incentivar a colaboração é oferecer recompensas diferentes para cada valor investido.

Vamos supor que você esteja a fim de lançar um disco: através de sistemas de crowdfunding você pode estipular que com a ajuda de R$ 10 a pessoa vai ganhar o download do disco, com R$ 20 uma cópia física do disco, com R$ 30 o disco autografado… ou seja, dá para criar camadas de recompensas diferentes para cada tipo de fã — ou de bolso.
" - Fonte: Blog Catarse

Não sabe como começar? O Catarse te ensina: Dicas de Campanha.

Casos de sucesso:



Quer fazer uma doação? É muito fácil:

E aí? Gostou da dica? Tem muita gente realizando sonhos, não é o máximo??

Eu ainda estou esperando para realizar o meu... Financie "Um novo amor".

Beijos,
Juh

Um minuto, uma dica #17

No sábado, dia 29/10, fui a uma festa no meu lugar favorito do mundo, o Ventuno Pub, um ambiente rock'n roll que eu amo de paixão localizado na cidade de Urussanga em SC, como amo esse lugar, nem preciso saber o que vai tocar, me convidam e já estou lá. No sábado (29/10), o tema da festa era "Oktoberfest" então imaginei muito chope e musica alemã, tá realmente tinha muito chope!! hahaha Mas a musica era diferente de tudo que eu já tinha escutado, e sabe aquela coisa de amor a primeira vista, ou nesse caso a primeira musica? foi exatamente o que senti!

Para quem não conhece, apresento a vocês: Terra Celta.

Eles são uma banda de Londrina, no Paraná e tocam folk rock. O grupo faz música irlandesa e celta com letras em português, geralmente humorísticas, e sobem ao palco normalmente vestidos à caráter, usando trajes típicos celtas.

Com muito estilo, simpatia, letras ótimas, a mistura de vários instrumentos e um som inspirado na musica folclórica europeia, essa banda consegue tirar o publico do chão, sério, tem algumas musicas que é só começar a tocar e mesmo sem conhecer você já começa a bater os pezinhos...




 

Espero que tenham gostado da dica!

Beijos,
Juh Bernardo

Resenha - Filha da Floresta

Oi, amores da minha vida!! Estou de volta (ou pelo menos tentando voltar) 


Sabe aquele livro que te surpreende?
Filha da Floresta é um desses livros!



Eu pensei que era mais uma obra de ficção voltada para jovens, mas me enganei. O que encontrei foi uma leitura completa, forte, intrincada, muito bem escrita e construída com a mistura de contos e lendas. O primeiro capitulo é bem introdutório, e confesso que achei um pouco monótono. Mas fui me envolvendo com a leitura, que a cada página foi ficando melhor.
Antes de finalmente fazer essa resenha, fiquei durante muito tempo olhando para uma página em branco no Word (escrevo minhas resenhas no Word antes de passar para o blog). Eu não conseguia saber o que escrever para mostrar a vocês o que realmente senti ao terminar essa leitura, e acho que ainda não consigo, mas tenho que apresentar esse livro para vocês.

"Havia várias macieiras ao redor, mas nenhuma outra parecia ter frutos maduros. Muitas de nossas histórias envolvem maçãs. São a fruta dos Seres da Floresta, que as usam para tentar os homens e mulheres mortais e fazê-los ficar próximos das colinas, mais longe de casa do que deveriam. Maçãs simbolizam o amor, a promessa."

A história se passa em Sevenwaters, uma ilha localizada na antiga Irlanda medieval, um local cercado de magia e seres mágicos que rondam florestas e são respeitados por habitantes, conhecemos a vida de Sorcha, "sétima filha de um sétimo filho", uma jovem extremamente inteligente, astuta e forte.
A mãe de Sorcha morreu após seu parto, seu pai tornou-se um homem frio e muito ausente, então ela praticamente foi criada por seus seis irmãos mais velhos, o amor e a união desses irmãos é incrível e lindo.
Conforme eles crescem suas vidas começam a mudar. E a mudança mais cruel acontece quando a pai de Sorcha se casa com uma bela mulher, Lady Oonagh. Os garotos não gostam nada do casamento, pois essa jovem carrega uma ameaça mística. Sorcha e dois de seus irmãos, Finbar e Conor, sentem a ameaça que essa mulher detém, mas não com tempo suficiente para escapar de uma terrível maldição.

"Sorcha é o elo que nos mantém unidos. Sem ela, somos como folhas ao vento, soprados sem destino. Somos fortes, sem dúvida, cada um de nós a sua maneira... Somente Sorcha pode nos levar para casa." 

Sorcha tem que percorrer um caminho sofrido e doloroso para salvar seus irmãos dessa maldição que os assombra. Não vou falar sobre o que acontece durante a saga de Sorcha pois sei que vou soltar spoilers e acredito que o leitor deve ter uma experiência completa sobre essa leitura.

"-Você vai descobrir, filha da floresta. Através de dor e sofrimento, de grandes obstáculos, de traição e perda, você seguirá seu caminho."

O livro é intenso, forte, emocionante, cruel, na verdade é uma mistura de muitas sensações e só lendo para saber do que realmente estou falando. A narração é maravilhosa, eu não conhecia muito sobre a mitologia celta, e acabei me encantando e querendo mais.

A diagramação é ótima, o livro é marcado por símbolos celtas nas quebras de capítulos e a capa é linda, realmente a editora Butterfly caprichou na edição.


Beijos,
Juh

Resenha - Quando o amor bater á sua porta


 Olá pessoas, como estão?
Vamos de mais um nacional hoje?


Quando o amor bater á sua porta traz a história de Malu Rocha, uma escritora de 29 anos que odeia sair da rotina. Bem-sucedida, seu principal objetivo no momento é finalizar o seu novo livro.

Porém, tal fato será um pouco...difícil, quando um homem bate á sua porta.

Luiz Otávio Veronezzi sofreu um acidente, ficou em coma e, para a cereja do bolo, perdeu sua memória. A única pista que ele tem é um papel com o nome e endereço da Malu.

O que mais a intriga, além da história de novela de Luiz Otávio, é que ele tem o mesmo nome que o mocinho de seu novo livro.

Claro que ela se mostra cética para com ele, além disso, Malu não se lembra de uma reunião marcada com o homem. Entretanto, com o passar dos dias, ela começa a ter empatia pelas dificuldades que Luiz está passando. Afinal, e se ele estiver dizendo a verdade?

Desse modo, Malu propõe ajudá-lo a descobrir sua verdadeira identidade, ademais, mal ela sabe que essa jornada trará muitas descobertas sobre si mesma.

Afinal, quem é Luiz Otávio?

Será que Malu conseguirá terminar seu novo livro?

Quando o amor bater á sua porta é um livro leve e agradável de se ler. Com um enredo fofo e reflexivo, além de personagens únicos, a obra de Samanta Holtz é a leitura certa para aqueles dias regados daquela preguicinha boa. Recomendo 


 Beijos da Bruh 

Divulga Escritor: Revista Literária da Lusofonia

"Revista  criada com perfil profissional, em setembro de 2013, pela jornalista e coordenadora do projeto Divulga Escritor, Shirley M. Cavalcante, a Divulga Escritor: Revista Literária da Lusofonia, apresenta em sua 22ª edição, entrevista inédita e polêmica com o filósofo Frederico Rochaferreira, autor do livro “A Razão Filosófica” que vem reescrevendo a história revelando segredos e enigmas, no mais profundo esforço para o nosso entendimento.

Além do destaque da capa, 19 autores estão sendo apresentados através de Entrevistas personalizadas, voltadas para a divulgação de sua talentosa trajetória literária.

A Revista desde sua criação elabora e apresenta entrevistas personalizadas, tem como foco, primeiro conhecer o perfil do entrevistado, após conhecimento, elaborar entrevista de acordo com o  foco divulgacional de cada profissional apresentado.

No entanto, quem desejar pode encaminhar entrevistas prontas para serem divulgadas na Revista.

Além da divulgação de entrevistas, a Revista divulga textos literários, estes podem ser em prosa ou em versos, diferentes artigos, contos, crônicas e poesias são apresentados em todas as edições da Revista.

Através da “Livros em Foco” a Revista apresenta diferentes obras que são destaque na Literatura Contemporânea.

A Revista conta com ampla divulgação em várias mídias, além de diferentes apoios que são alcançados de forma personalizada por edição. A editora Shirley M. Cavalcante tem a preocupação de imortalizar todas as edições da revista nas mais diferentes mídias."


Ficou interessado? Que tal conferir a 22ª Edição de forma gratuita? Eu li a revista no fim de semana, e tem muita entrevista interessante, sem falar que a minha lista de leitura já aumentou.... hahaha

Todas as outra edições da Revista também estão disponíveis gratuitamente através do site da Revista: http://www.divulgaescritor.com/revista/ 

 Beijos,
Juh

Resenha - Senhorita Aurora

Olá pessoas, como estão?

Primeiramente: olhem essa capa ma-ra-vi-lho-sa.

Ok, vamos á resenha agora.
Senhorita Aurora traz a história de Nicole Alves, uma jovem bailarina que esta prestes a realizar seu maior sonho: dançar profissionalmente. Como estreante no papel principal de uma peça na Companhia de Ballet de Londres, tudo parecia perfeito, se não fosse a presença do Sr. Daniel Hunt, o famoso maestro que irá reger a peça. Ele é um ser de temperamento - muito - difícil, temido, assustador e com um humor para lá de azedo, Nicole e todos que participarão do evento, tem de aprender a conviver com ele.

Rótulos não são coisas idiotas? Eles deviam vir apenas em garrafas e potes de geleias, não em seres humanos.

Entretanto, Nicole começa a notar que o humor de Daniel, e toda a sua personalidade dúbia, pode ser resultado de algo muito, mas muito ruim.

A morte escolhe algumas pessoas para amar e que em seu egoísmo frio, ela não quer que seus escolhidos amem a mais ninguém.

Claro que Nicole começa a estudá-lo e procura saber sobre ele cada vez mais, e isto acaba colocando-a em uma mansão centenária, praticamente sozinhos, em uma tempestade de neve.

Será que Nicole descobrirá a causa de Daniel ser assim?

As descobertas poderão mudar suas vidas para sempre.


Senhorita Aurora é um livro lindo, não apenas pela capa, diagramação ou pela sua playlist maravilhosa, mas pelo elo de tudo isso á história de Daniel e Nicole.
Um romance singelo, único, que traz reflexões sobre nossos sonhos, preconceitos, amizades e, claro, sobre o amor.
Os personagens são muito bem construídos, o leitor vibra com Daniel, Aurora e com os demais personagens, querendo saber mais sobre eles, e Babi A. Sette, não nos decepciona.
Este livro é auto-publicado, com isso, seu único formato no momento é em e-book. Em seu primeiro dia de venda (30/09), Senhorita Aurora  alcançou o primeiro lugar dos e-books mais vendidos. Unam tudo isso pelo fato do e-book ser nacional e corram para ler!
Recomendo muito esta obra, leiam gente, sério! Vão se apaixonar. #VivaaLiteraturaNacional

Agora tudo o que eu mais quero é tê-lo em minha estante, e poder cheirar esse livro fofo.

  Beijos da Bruh 



Antenção escritores!!!

Primeiro, quero me desculpar por ter sumido, mas vamos falar sério, acho que os meses estão ficando menores, setembro por exemplo, acho que só teve uns 15 dias, e hoje já é dia 28, é possivel isso? Acho que estou vivendo em um universo paralelo (tá, eu fiquei viciada em Stranger Things).

Mas vamos ao que interessa!

ww.amazon.com.br/b/?ie=UTF8&node=15281607011

A Amazon.com.br através da sua ferramenta KDP (Kindle Direct Publishing), em parceria com a editora Nova Fronteira, criou o Prêmio Kindle de Literatura.
Uma oportunidade excelente para todos os escritores nacionais!

Contive

"A Amazon.com.br, por meio da sua ferramenta de autopublicação Kindle Direct Publishing (KDP), com o apoio da Editora Nova Fronteira, convida autores a participar do Prêmio Kindle de Literatura.
O Prêmio Kindle de Literatura irá premiar obras literárias inéditas na categoria Ficção/Romance. Por Romance, entende-se narrativas ficcionais longas, que podem ser classificadas em diversas subcategorias, como: fantasia, ficção científica, suspense, romance histórico, entre outras.
Para concorrer ao Prêmio, autores devem publicar no KDP obras inéditas. Para que um livro digital seja elegível ao Prêmio, o autor deve inscrever o livro no programa KDP Select, em regime de exclusividade por 90 dias a partir da data de publicação, e a hashtag #premiokindle deverá ser incluída como a única palavra-chave durante o processo de publicação.
Dentre as obras inscritas, serão pré-selecionadas dez. O júri escolherá três obras finalistas e, dentre elas, o livro vencedor do Prêmio Kindle de Literatura 2016."

Mais informações: Prêmio Kindle de Literatura.

Sei que a concorrência é muito grande, mas as inscrições são gratuitas, então, como diria a minha mãe, "não custa nada tentar, né?", e participar de um concurso assim pode ser uma grande experiência!! Sem falar que temos ótimos autores que começaram a carreira publicando pelo KDP.

 https://kdp.amazon.com/signin?language=pt_BR


Beijos,
~Juh

Resenha - Cilada para um Marquês

Olá pessoas, como estão?
Lady Sophie Talbot é a mais nova das irmãs Seraphina, Sesily, Seleste e Seline. Elas são rotuladas pela sociedade como as Cinderelas Borralheiras ou como as Irmãs Perigosas. Claro que os escândalos que estas fazem ajudam nesse quesito.
Entretanto, Sophie nunca sofrera nenhum escândalo, ela é considerada a mais desinteressante das irmãs, até agora.
Ao pegar o marido de sua irmã Seraphina, grávida, nos braços de outra mulher, Sophie fica irritadíssima e resolve colocar o Duque (Duque!) em seu devido lugar. Porém, o ato acontece em uma festa, aos olhos de toda a aristocracia. 
Ao perceber o que fez, Sophie quer simplesmente fugir, mas sem utilizar a carruagem de sua família. 

Procurando uma opção para ir embora daquele lugar, ela acaba se deparando com Rei, o Marquês de Haven. Ele está pulando a janela, totalmente descomposto e acaba por jogar um par de sua bota na cabeça de Sophie, claro que ela utiliza o utensílio como moeda de troca: se ele a levar embora em sua carruagem, ela lhe devolverá o calçado. 
Todavia, Rei pensa que Sophie lhe montou uma cilada para casar-se com ele, resultado: ele lhe diz um não em alto e bom som. 

"Sério? Você é Sophie, a mais nova das irmãs Talbot, não é?
"Sou."
"A desdivertida."

Sophie não gosta nada dessa resposta e, sem ao menos o Marquês perceber, ela manipula um dos criados dele e faz com que este lhe dê suas roupas!
Vestida com o uniforme do criado, ela sobe na parte de trás da carruagem e finalmente se direciona a caminho de sua casa. Só que não.
Algum tempo de estrada depois, Sophie percebe que o veículo não está indo para Mayfair, e quando o mesmo aumenta a velocidade, ela reconhece que está em uma cilada. 

"Oh, merda."

Sophie tenta parar a carruagem e, ao conseguir, ela bate á porta do veículo, mas o Marquês não está lá. 
Na verdade, ele foi á frente, dizendo que seu criado lhe encontra-se em uma estalagem, pois ele está a caminho de Cúmbria para visitar seu odioso pai, que está a beira da morte. 
Quando chegam a estalagem, é claro que Rei a reconhece, e não acredita que ela quis simplesmente pegar uma carona, mas sim fazer com que ele se case com ela. 

"Eu não me casaria com você nem que fosse o último homem da cristandade."

Claro que nosso mocinho a manda embora, depois acaba voltando atrás, pois Sophie não quer mais retornar a Londres, mas sim ir para Mossband, onde vivera antes que seu pai comprasse o título de Conde.

Sophie era o oposto das mulheres que ele costumava gostar. Só que não.

Entre reviravoltas e muitas brigas, Rei e Sophie começam a mudar de opinião sobre o que pensam um do outro, e é aí que mora o perigo.

"Sophie...", ele chamou, como o diabo na porta do inferno.

Cilada para um Marquês é definitivamente o melhor romance de época que li este ano, se não o melhor que a Sarah MacLean já escreveu. Vocês devem perceber pela quantidade de quotes, o quanto esse livro é bom.
Sophie é a melhor personagem ever, ela tem os seus complexos, mas é forte, determinada e não foge da briga. 
Já Rei, meu deus que homem, ele sofre com o passado, mas este se molda a cada fria que entra com Sophie durante a trama. 
Com uma narrativa super fluida, Sarah traz um enredo recheado de escândalos, comédia, vingança, paixão, ódio... gente, o livro é COMPLETO. 
Com toda a certeza acompanharei essa série, mas acho só acho que este já é o meu preferido dela. Mal posso esperar pelos próximos livros!

"Pare!", ela exclamou.
"O que foi?", ele parou e virou os olhos espantados para ela.
"Seus dedos. Estão cobertos de doce. Não toque no livro."
"Parecia que eu estava para assassinar alguém."
"Algo", ela disse. "O livro ficaria tortado para sempre."
Rei levantou as mãos.
"Muito bem. Que Deus não permita que nós o tortemos."


"Vamos", ela disse.
Rei aceitou o volume.
"E agora?"
"Cheire o livro", ela instruiu e ele inclinou a cabeça. Sophie não conseguiu deixar de sorrir. "Vamos."
Ele levou o livro ao nariz e inalou.
"Não assim. Dê uma boa cheirada."
Rei olhou desconfiado, mas fez o que ela mandou.
"O que você sente?", Sophie perguntou.
"Couro e tinta?"
Ela negou com a cabeça.
"Felicidade! É esse o cheiro dos livros. Felicidade."

                                                                                                           Beijos da Bruh 

Resenha - Conquistada por um Visconde

 Olá pessoas, como estão?


Conquistada por um Visconde traz a história de Heather Cynster, ela cansou de conhecer homens aristocráticos enfadonhos, desse modo, seu tão sonhado herói deve estar em festas de reputações duvidosas.
Sendo assim, ela vai em um sarau, sozinha,  e ultrapassa as barreiras de seu mundo. Porém, seu plano é arruinado quando encontra o Visconde de Breckenridge, que rapidamente, a escolta para fora do salão. Mandando-a embora.
Audaciosa, Heather se solta dos braços dele e caminha de cabeça erguida para a carruagem, mas o que ela não esperava, era ser surpreendida e sequestrada.

Breckenridge, estupefato com o que viu, vai automaticamente atrás dela.

Quando os sequestradores a levam para uma estalagem, Breckenridge consegue chamar a atenção de Heather, mas acontece que ela não quer ser salva.

Damas como Heather Cynster deveriam vir com manual de instruções.

Isso mesmo! No pouco que falou com os sequestradores, Heather descobre que foi a mando de alguém e que o alvo não era ela, mas qualquer uma de suas irmas e/ou primas. Teimosa, ela faz a cabeça de Breckenridge propondo conseguir informações do mandante para que eles o identifiquem, descobrindo assim o motivo que o levou ao sequestro.

 Desse modo, Breckenridge começa a segui-los e todas as noites encontra Heather para reaver o que ela descobriu no decorrer do dia.

O que será que vai acontecer? Eles descobrirão o mandante? Conseguirão fugir?

Será que Heather tem em mente que, com ela e Breckenridge desaparecidos, o casamento entre eles será iminente?


Conquistada por um Visconde faz parte de uma trilogia intitulada As irmãs Cynster, e fora um livro de rápida leitura, porém o enredo é raso e se estende desnecessariamente. Heather é uma ótima personagem, mas não me convenceu muito. Já Breckenridge, é o típico libertino que nunca irá amar alguém. 
Enfim, o livro é bom, com uma narrativa fluida e prende o leitor com o suspense sobre o mandante do sequestro, entretanto, não é algo que eu já não tenha lido antes. rs
Penso que, por ler muito do gênero, as histórias começam a ficar menos surpreendentes a cada livro, mas espero que os próximos sejam diferentes.

As palavras eram apenas palavras, afinal. Fácil dizê-las; fácil esquecê-las.


                                                                                                      Beijos da Bruh 

Resenha - Sedução da Seda

Olá pessoas, como vão? 

Até onde você iria para sobreviver?

Marcelline, Sophia e Leonie Noirot são irmãs e proprietárias da loja Maison Noirot, a grande ambição das modistas é fazer com que esta se torne a mais popular de toda a Londres, entretanto não é algo tão fácil assim. Elas precisam atrair clientes e se desfazer de quaisquer competições com outras lojistas, ou seja, suas criações tem que serem únicas, autênticas.

Sendo assim, uma de suas clientes solta na loja que o duque de Clevedon está retornando a Londres, após passar um bom tempo em Paris. Na verdade, ele foi obrigado a voltar, já que está noivo de lady Clara Fairfax e necessita firmar o compromisso, horando-a com o matrimônio. 

Marcelinne então, sendo a mais velha das irmãs, sabe que se conseguir fazer com que Clevedon as deixe vestir sua futura duquesa, os negócios irão decolar de vez. Com um plano em mente, Marcelinne resolve agir o mais rápido possível, indo pessoalmente a Paris para fazer a cabeça do duque.

- Eu não tenho esposa - retrucou ele.
- Mas terá. E eu devo ser a pessoa que irá vesti-la. Espero que isso já esteja bem claro.

Acontece que Clevedon não é como Marcelinne pensava, e ela desperta certo interesse nele.
Bem, já dá para perceber que as coisas não sairão como planejadas, certo?

Não foi um beijo de rendição, mas do tipo tapa na cara.

Então começa um jogo de gato e rato, Marcelinne retorna (foge) para Londres, Clevedon vai atrás. Agora resta saber como irão resistir a tentação e como colocarão suas vidas nos eixos, ele casando com lady Clara e Marcelline a vestindo.

Resistir a tentação era terrível.

Será que conseguirão? 

Sim, ele era um tolo. A mulher a quem sempre amara estava em seus braços e todos os outros homens no salão de baile desejavam estar em seu lugar.
E tudo o que ele queria era ir embora.

A Sedução da Seda  fora um livro bom, mas sua leitura se arrastou um pouco. O enredo é interessante, mas peca em determinados pontos, tais como as descrições que Marcelline faz do duque, colocando-o em um pedestal, o deus grego do universo; e Clevedon totalmente sem saber como tomar as rédeas de sua própria vida, brincando com os sentimentos dos outros. 
Lady Clara é uma personagem que cresce ao decorrer do enredo, por mais que a série trate sobre as três irmãs, eu gostaria de ver o futuro de Clara, pois ela me conquistou muito mais que a protagonista. Veja bem, Marcelinne é uma personagem forte, sofrida, porém não me convenceu.
Já peguei diversas séries que melhoraram com o passar dos livros, acredito que o próximo será melhor, já que fiquei muito mais curiosa com o que aconteceria nele, do que com esse livro. rs
Vale a pena ler e recomendo. Já aviso também que é necessário começar pelo primeiro livro, pois a série será conectada, ou seja, os personagens do segundo livro já começam "algo" nessa obra.

A série:


                                                                                                      Beijos da Bruh 
 

© Template elaborado por Cantinho do Blog. Clique aqui e Encomende o seu! - 2015. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré